Frete Grátis para Sul e Sudeste a partir de R$ 249 | Frete Grátis para as demais regiões a partir de R$ 399
Como conversar com crianças sobre religião?

Como conversar com crianças sobre religião?

05 May, 2022

No dia 21 de janeiro, o Brasil comemora o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa. Seu objetivo é promover a tolerância, o diálogo inter-religioso e o respeito. Ele é comemorado desde 2007 em homenagem à Ialorixá baiana Gildásia dos Santos e Santos, a Mãe Gilda, que sofreu agressões físicas e teve sua casa e seu terreiro invadidos por um grupo de outra religião.

Esse episódio retrata bem como a intolerância religiosa pode atingir níveis inaceitáveis. Por isso, é importante conversar com as crianças sobre religião desde cedo. Na maioria das vezes, a conversa passa principalmente pela espiritualidade…

A importância da espiritualidade e da fé

A espiritualidade é um sistema de crenças internas em que nos baseamos para encontrar força e conforto. Ela faz parte da nossa constituição humana. Muitos estudos, inclusive, comprovam que ela, quando estimulada e praticada, pode tornar as crianças mais fortes, felizes e capazes.

No livro The Spiritual Child (“A criança espiritual”), da psicóloga norte-americana Lisa Miller, professora da Universidade Colúmbia (Estados Unidos) também encontramos boas notícias sobre o desenvolvimento espiritual das crianças. 

A psicóloga aponta que as crianças inseridas em famílias espiritualizadas têm 60% menos possibilidade de desenvolver depressão na adolescência, 40% menos chance de usar drogas e desenvolvem maior autoestima e senso de propósito.

Ótimas notícias, não? Mas como falar disso com as crianças? Antes de mais nada, precisamos entender que desenvolver a espiritualidade não é exatamente ter uma religião definida.

Espiritualidade x religiosidade

A espiritualidade é vivenciada por cada um de nós de maneira diferente. Ela pode ser experimentada, inclusive, no contexto de cada religião ou crença. Católicos, protestantes, espíritas, umbandistas, judeus, todos eles desenvolvem sua espiritualidade dentro de sua crença. Mas não é uma regra.

Embora a espiritualidade caminhe junto com a religiosidade, em muitos casos, ela pode se desenvolver de outras maneiras. A religião traz um sistema organizado de práticas, crenças, símbolos e rituais que facilitam nossa aproximação com o sagrado. É, assim, um meio para alcançarmos a espiritualidade.

A criança inserida em um grupo religioso pode se beneficiar bastante de valores, condutas e comportamentos propagados por eles. Afinal, esse acolhimento promove uma conexão social com um propósito coletivo. Mas essa mesma experiência pode ser alcançada fora de um sistema de crenças. O que importa é ensinar a criança os valores éticos. 

E como conversar com crianças sobre religião?

Liberdade é o caminho

Sua família é católica, protestante, judaica ou umbandista? Sua família é atéia? Pouco importa a resposta. Na hora de conversar com as crianças sobre religião, o ideal é ter em mente que a liberdade é o caminho. Não existe uma verdade absoluta.

As crianças devem descobrir a espiritualidade, e é papel dos seus responsáveis mostrar os caminhos. Os valores podem ser repassados em ações simples, como ler juntos, dar um abraço ou fazer um trabalho voluntário. É a forma como elas percebem como cada um vive sua crença. 

Se sua família é adepta ao catolicismo, por exemplo, você pode convidar a criança a participar dos ritos, como a missa. Ao integrar um grupo, ela se sente estimulada a buscar sua espiritualidade e a desenvolver virtudes como empatia e compaixão. No entanto, ela deve ser respeitada em sua singularidade. 

Por isso, explique à criança que ir à missa é uma ação que você adota para se sentir mais próximo(a) a Deus, mas que outras pessoas encontram outras formas para isso. Inclusive, é importante dizer que você acredita em Deus, e que isso é uma crença pessoal e que existem pessoas que não acreditam nEle. 

Seja sincero(a) para dizer que você não sabe de tudo, mas que isso é como você se entende no mundo. Dessa maneira, ela consegue compreender que existem diversos caminhos para exercer a fé e que pode ter sua própria escolha.

A cultura e o respeito a todas as religiões

A leitura é uma boa ferramenta para conversar com as crianças sobre religião. Papais e mamães podem optar por livros que trazem a ideia de Deus como uma força universal que não se restringe à uma religião específica. Esse é o caso do livro "Vamos Conversar Sobre Deus", de Angels Comella. A obra fala muito sobre a presença divina em tudo e em todos e tem muitas ilustrações.

Porém, é importante também trazer obras que explicam sobre o sistema de crenças de outras religiões e sobre o ateísmo. As religiões de matriz africana, por exemplo, são alvos constantes de agressões e preconceitos. Como pontuamos, isso originou o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa.

Por isso, é importante ensinar às crianças o respeito às diversas crenças, considerando nenhum, um ou diversos deuses. Aliás, as crianças têm maior capacidade de compreender e respeitar a pluralidade do que os adultos. Aproveite!

Título